Textos importantes que abordam temas em evidência na área da saúde: violência, força de trabalho, educação,políticas públicas. Selecione uma categoria abaixo.

Instrumento de medida de carga de trabalho dos profissionais de Saúde na Atenção Primária: desenvolvimento e validação
Autor: Daiana Bonfim, Maria José Bistafa Pereira, Celia Regina Pierantoni, Ana Estela Haddad e Raquel Rapone Gaidzinski
Download
Compartilhe

Publicado na Rev. esc. enferm. USP vol.49 no.spe2 São Paulo dez. 2015.

Link para a revista: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=0080-623420150008&lng=pt&nrm=iso

Resumo:

Objetivo
Propor e validar um instrumento que contemple as intervenções/atividades realizadas pela equipe de saúde da família, como referência para o planejamento da força de trabalho.

Método
Pesquisa metodológica desenvolvida nas etapas: construção do instrumento; validação de conteúdo e teste piloto, em três unidades, localizadas na região sudeste do Brasil.

Resultados
Foram validadas 39 intervenções em um único instrumento de medida de carga de trabalho para médico, cirurgião-dentista, técnico/auxiliar de saúde bucal, enfermeiro, técnico/auxiliar de enfermagem e agente comunitário de saúde. No teste piloto, o instrumento contemplou 100% das intervenções observadas, atingindo 93,7% de concordância entre os observadores.

Conclusão
O instrumento proposto, inédito na sua configuração, subsidia o planejamento da força de trabalho em atenção primária.

Palavras-Chave: Atenção Primária à Saúde; Recursos Humanos em Saúde; Carga de Trabalho; Estudos de Validação, Planejamento


Download
Compartilhe



Inscrições até 11/01/2018 ICICT - FIOCRUZ oferece curso de especialização em Informação Científica e Tecnológica... https://t.co/uPgtnH3Ky9
Estão abertas as inscrições, até o dia 08/12, para os Cursos de 15 HORAS do Telessaúde UERJ. Venha, inscreva-se... https://t.co/A7ciO5HteW
Amanhã (05/12/17), de 10h às 11h (horário de Brasília) ➤ Webinar Working for Health Assista pelo link:... https://t.co/F7OYKPymiq
Todos os direitos reservados © ObservaRH-IMS/UERJ - 2013